quinta-feira, 3 de maio de 2007

Eu ainda sou do tempo de mil nove...


Corria o ano 1997. O grupo do costume encontrava-se no sítio do costume, à hora do costume. A chegada era feita com normalidade. “Despacha-te! Vai-te equipar para irmos todos juntos!” Objectivo, treinar para melhorar. Fazer grandes marcas. Ir aos nacionais. Eventualmente ganhar medalhas. Divertir acima de tudo. O treino das Terças era o mais temido de todos. Todos os dias se falava do treino da Terça. “Heia pá… amanhã é terça…”; “Heia pá, hoje é terça…”; “Porreiro! Ainda faltam 6 dias para a terça”. Aquecimento, técnica de corrida, muitos skippings, multi-saltos, musculação, bola medicinal e por fim… a cereja. Séries de 120! Na chegada a casa, já tarde… muitas vezes já depois das 22h, uma desculpa esfarrapada: “Tivemos um furo!” Até que um dia tivemos mesmo e os meus pais não acreditaram. Nem as mãos sujas me livraram de mais um sermão. Nada de novo. A mesma lenga-lenga de todos os dias.
O corpo moído, com ácido láctico até nas orelhas, tentava contrariar a sensação de bem-estar. Em vão. O facto de segurar na colher da sopa e o braço tremer de cansaço, era um bom motivo para me sentir bem. O treino tinha valido a pena.

Ano 2007. Muitas Queimas e Latadas depois, consigo um dia “livre” depois das 19h. Resolvo contrariar a vida sedentária que me vejo obrigada a levar. Apenas com um elemento do grupo do ano de 1997, chego ao treino, de uma forma menos discreta, “Ehh lá!!!! Estás cá hoje!? Vens treinar?!?!?” Não há sequer esquema com plano de treino, vulgo “programa das festas”. Na cabeça a ideia de correr até aguentar. Depois fazer mais qualquer coisita.
18 minutos de corrida depois, 100 abdominais e outros tantos lombares fazem-me sentir orgulhosa por ter conseguido correr mais de 15 minutos… mas acima de tudo fraca. Velha. As lesões continuam, ainda que adormecidas. A fazer abdominais, eis que a fibrose no quadricípede da perna “podre” me diz: “Olá! Continuo aqui!”
No fim, cansada e com o ácido láctico a querer dar o ar de sua graça, a mesma sensação de há 10 anos atrás.
Há coisas que não mudam! Felizmente…

7 comentários:

Anónimo disse...

Ola!!!
n poderia passar por aki ser komentar!!!!lol.....
Esses treinos eram fantasticos,apesar d todo esse kansaço k para mim n deixa de existir ate aos dias de hj!!Foram tempos lindos!!Tb diga-se de passagem ainda eramos uns "miudos"!O nosso grupo tb era fantastiko, era sp uns a puxar pelos outros.
E "PRONTOS" axo k este komentario identifika a nossa amizade k ja e do tempo,komo referiste, de mil e nove.....Bjs,e k esta amizade perdure ate...sempre! ASS:Bruno Carmo

Anónimo disse...

Épa, na minha "terra" este era o treino de segunda! Com menos abdominais, com mais tempo de corrida ou sem bola medicinal,ía dar ao mesmo... O tal ácido que, mais cedo ou mais tarde, acabava sempre por aparecer!!!!
Mas, nada melhor que nestes próximos dias não se resolva... numa Queima perto dei ti!!!!

Ass: Piretes

eu disse...

Levantamento de copos, corrida aos shots, técnica de equilíbrio (para não ires com a tromba ao chão), saltos no pó (e, se não for na lama, já é uma sorte). Estes treinos de Maio não descreves tu! ;)

Briooooooosa!!

Olímpio (Aka Alex) disse...

E não foste tu à massagem...se fosses...era bem pior :p

Anónimo disse...

Eu so tenho a lamentar o fraco de esta minha amiga e companheira estar a dar as últimas, vejam só, sim tenham pena dela q a mulher tá podre.......

Já me tinha cheirado, já...!!

És muito parva carago, c esses abdominais dizes q tás velha!!!

Tás é douuuuuda!!!!

bj

baixinhaaa disse...

Não tem nada a ver, mas como tou mt orgulhosa, n caibo em mim de fe li ci da de ... tenho de te dizer...
Visita-me!!! dps já ficas a saber o motivo!:P

espero k estejas boua !!!

beijinho bommmmmmmmmmmm

Alex disse...

Então?
Mas isto não mexe?

Agora que namora pensa que se pode baldar assim? :P